eng / port

MATRIZES EXPANDIDAS; pinturas, desenhos e colagens
26.02.2016 | 19.03.2016

  Para sua primeira grande  individual na Galeria Rabieh, o artista de origem inglesa  LIAM PORISSE  irá ocupar as duas salas de exposição com  mais de 20 obras como pinturas de grande e médio formato, desenhos e colagens , a maioria produzidos no nos últimos 3 anos .
Segundo o curador Andrés Hernández, Porisse utiliza o desenho intenso, emocional e expressionista para harmonizar atmosferas de possíveis sonhos lúdicos. Ele entrelaça objetos reais e imaginários, valendo-se do seu talento tático e destreza plástica para fragmentá-los e conjugá-los em planos figurativos e abstratos, distribuindo-os em espaço aparentemente arbitrário. Ao explicitar referências e construir diversas possibilidades morfológicas, as produções recriam um âmago livre e repleto de interpretações sensoriais. 


Sobre o Artista

Liam Porisse nasceu em 1962 na Inglaterra, filho de pai francês e mãe Irlandesa. Conviveu com o mundo da arte desde a infância, sua avó paterna tinha galeria em Paris e em Cannes e seu pai, Julien Porisse, expôs obras por muitos anos na famosa Place du Tertre em Montmartre, bairro boêmio e reduto de artistas como Pablo Picasso e  Toulouse-Lautrec. Porisse concluiu seus estudos na Inglaterra e complementou sua formação na École Nationale de Beaux Arts (Escola Nacional de Belas Artes) em Paris. Sua produção inclui pinturas, desenhos, esculturas, cadernos de artistas nas quais se entrelaçam o figurativo, o abstrato, arte pop e outras linguagens artísticas. Fica evidente na sua produção plástica a influência de artistas como Jackson Pollock, Jean-Michel Basquiat, André Butzer e Jonathan Meese. Tem participado de várias exposições individuais e coletivas na França, nos Estados Unidos e no Brasil. Destaque para sua participação em 2011 na Bienal de Firenze, Itália, na qual recebeu o Prêmio Internazionale Lorenzo Il Magnifico. No mesmo ano, foi premiado com a medalha de ouro no Salão de Belas Artes do Grand Palais, em Paris. Possui obras em coleções privadas e públicas como o Museu de Arte Contemporânea de Olinda, Pernambuco, e no Davis Museum em Barcelona, Espanha. Atualmente vive entre São Paulo e Paris, mantendo atelier nas duas cidades.  


Voltar